Prefeitura de Porto Alegre/ Independência do Senegal é celebrada em Porto Alegre.

Nesta quarta-feira, 4, a partir das 19h, no Espaço Coworking, rua Castro Alves 567, bairro Independência, a Associação dos Senegaleses de Porto Alegre promove um evento para marcar a 58ª Comemoração da Independência do Senegal. A Secretaria Municipal de Desenvolvimento Social e Esporte (SMDSE) participa do encontro, por meio da Coordenadoria dos Povos Indígenas e Direitos Específicos da Diretoria dos Direitos Humanos.
Confira a programação:
19h - roda de conversa sobre o Senegal
20h - café típico senegalês
21h - filme e apresentação cultural
República do Senegal - A independência do Senegal, celebrada em 4 de abril de 1960, tornou-se um exemplo de luta pacífica liderada pelo poeta Léopold Sédar Senghor, que foi eleito o primeiro presidente do país independente, após 106 anos de domínio francês. Entre os 55 países africanos, o Senegal teve destaque na história como um dos países pioneiros na luta dos povos africanos pela libertação do domínio europeu.
A população de Senegal, segundo dados de 2014 das Nações Unidas, é de 14,54 milhões de pessoas, que se distribuem em uma área de 196.720 quilômetros quadrados. A cidade mais populosa é a capital, Dacar, com cerca de 2,2 milhões de pessoas.
Brasil - A importância das relações bilaterais para o relacionamento do Brasil com o continente africano é demonstrada pela presença de representação brasileira em solo senegalês já no século 19 (Consulado em Dacar). Pouco após a independência do Senegal (1960) foi criada a Embaixada do Brasil em Dacar - a primeira Embaixada brasileira na África subsaariana. A Embaixada do Senegal no Brasil foi inaugurada em 1963. 
Imigração ao RS - No início do século 21, um grupo de imigrantes chegaram ao Rio Grande do Sul em busca de uma nova vida, vindos do Haiti, do Senegal, de Bangladesh, de Gana, e de vários outros países. As circunstâncias históricas são outras, mas esses novos imigrantes guardam uma semelhança fundamental com os italianos e alemães que aqui chegaram no século 19: pobres, sem perspectivas em seus países de origem, vindos para o Rio Grande do Sul em busca de uma nova vida, de direitos e de cidadania. O Estado possui atualmente 50 mil migrantes. Deste total, 8,5 mil haitianos e 4,2 mil senegaleses. Estima-se que 1,2 mil senegaleses moram em Porto Alegre.
0