União Africana condena declarações ofensivas de Trump.

Porta-voz afirmou desrespeito não só com pessoas de origens africanas nos EUA, mas todos os cidadãos A União Africana (UA) condenou nesta sexta-feira as declarações ofensivas e perturbadoras feitas pelo presidente americano, Donald Trump, em uma reunião sobre vários países africanos e o Haiti, onde os teria qualificado de "países de merda". "Na minha opinião não são apenas ofensivas para as pessoas de origem africana nos Estados Unidos, como também para os cidadãos africanos", declarou à AFP Ebba Kalondo, porta-voz do presidente da Comissão da União Africana, Moussa Faki. "Isso é ainda mais ofensivo dada a realidade histórica do número de africanos que chegaram aos Estados Unidos como escravos". Após a grande polêmica originada por estas declarações de Trump, divulgadas por vários meios de comunicação de seu país, o presidente americano deu a entender nesta sexta-feira que não usou a expressão "países de merda" durante uma reunião de quinta-feira sobre imigração na Casa Branca. "A linguagem que usei na reunião sobre o Daca foi dura, mas essas não foram as palavras utilizadas", tuitou o presidente depois de uma onda de indignação na comunidade internacional quando a mídia reportou que se referiu desta maneira aos países africanos, ao Haiti e El Salvador.
0