"Não quero ser candidato se for culpado", afirma Lula em reunião com bancadas.

Imagem relacionada
Ex-presidente disse que não quer ser um candidato escondido  /   Em reunião com as bancadas do PT na Câmara e no Senado, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse nesta quarta-feira que vai lutar para defender a sua inocência e pediu para que os petistas ergam a cabeça para vencer a batalha diante das acusações contra ele e o partido. Em discurso, que durou aproximadamente 30 minutos, Lula disse que há uma tentativa de impedir que o PT volte ao poder. "Não quero ser candidato por ser candidato. E não quero ser candidato se for culpado. Eles (acusadores) que apresentem à sociedade uma única culpa. O máximo que conseguem dizer é que Lula sabia", disse o ex-presidente. O presidente de honra do PT disse que não quer que os petistas tenham um candidato "escondido" na sua candidatura, ou seja, um candidato que participa do pleito para não ser preso. Lula ressaltou que tudo que não quer é ser condenado sendo inocente. "Se apresentarem provas contra mim de todas as acusações, terei a satisfação de vir aqui e dizer que não posso ser candidato." Lula repetiu que, se fosse culpado, não teria condições morais de ser candidato.
0