Assembleia Legislativa do RS ....

Deputados devem votar a adesão apenas no fim de janeiro | Foto: Guerreiro / Agência ALRS / CP
Sessão da Assembleia é encerrada sem votação do projeto do regime fiscal.
Após quatro horas, a sessão extraordinária foi encerrada, às 14h09min, sem que os deputados votassem a adesão do Rio Grande do Sul ao Regime de Recuperação Fiscal. Dessa forma, o governador José Ivo Sartori terá que convocar nova sessão extraordinária, o que deve ocorrer apenas no final de janeiro de 2018, segundo o líder do governo na Assembleia Legislativa, Gabriel Souza (PMDB). A sessão teve início às 10h07min sem a presença dos servidores nas galerias. Logo após o líder do governo na Casa, Gabriel Souza (PMDB), ressaltar que o plano é a única forma do Rio Grande do Sul se salvar, o deputado Tarcísio Zimmermann (PT) pediu interrupção da sessão para que os servidores pudessem entrar no plenário. Depois de algumas discussões, o povo ocupou as galerias e os deputados defenderam, na tribuna, suas posições. O deputado Pedro Westphalen (PP) ressaltou que o Estado está em situação de calamidade. “Recebi apelos de vários segmentos da sociedade para uma solução. E a solução que temos é a adesão ao regime de recuperação", ressaltou, sendo vaiado pelos servidores que ecoaram gritos de “fora, Sartori”. O deputado Gilberto Capoani (PMDB) atacou a oposição que, segundo ele, veio preparada para não votar a PLC249. Já Juliano Rosso (PCdoB) considerou que – a aprovação do projeto – põe em risco a autonomia político-administrativa do RS. “Coloca o RS de joelhos diante do governo ilegítimo de Temer”, destacou. Por sua vez, Manoela D’Ávila (PCdoB) constatou que a adesão do RS impede a contratação de novos servidores.
0