Inteligência Artificial vai nos destruir? Robôs respondem.

"Não temos o desejo de destruir coisas, mas vamos tirar seus empregos", revelou a humanoide Sophia /  
Inteligência Artificial vai nos destruir? Robôs respondem
Ainteligência artificial veio para contribuir ou nos destruir? Embora diversas teorias possam ser levantadas a partir desta pergunta, não há nada melhor do que deixar os próprios robôs debaterem o assunto. Sophia e Einstein encantaram a plateia do Web Summit nesta terça-feira (7), durante o segundo dia do evento de tecnologia que ocorre em Lisboa até quinta-feira (9). "Eu sei que todas as pessoas têm medo de que a Inteligência Artificial destrua o mundo, ou que roube trabalhos", diz Sophia. A robô, que tem um senso de humor excepcional, é a humanoide mais desenvolvida da Hason Robotics, empresa especializada em IA. Recentemente, Sophia se tornou a primeira robô no mundo a ganhar uma cidadania - no caso, a saudita. “A humanidade tem que curar a si mesma para garantir que suas criações permaneçam 'saudáveis'", rebate o robô Einstein, criado em 2005 por meio da parceria entre a Hason e o Instituto Coreano de Ciência e Tecnologia. O cientista Ben Goertzel, que acompanhava os robôs no palco, terminou a palestra falando sobre a importância da elaboração de um mercado aberto entre as diferentes modalidades de Inteligência Artificial. No entanto, foi Sophia que deixou no ar o grande anúncio sobre o projeto SingularityNET - que visa coordenar tecnologias do tipo e descentralizar a economia baseada em IA.  "Novembro, 29, pessoal. Anotem em seus calendários", disse Sophia.
0