'Fábio de Melo faz show, eu sou sacerdote', diz padre Marcelo Rossi.

"Padre Fábio de Melo, antes de ser padre, era um cantor, que se tornou sacerdote. (...) Então ele vai e faz o show dele. Eu não, eu sou padre. Não vou fazer e nunca fiz show, e as pessoas confundem. Nunca recebi para isso, é minha missão. Na verdade, é o inverso, vou doando. Então, o padre Fábio de Melo faz show, eu sou sacerdote."
'Fábio de Melo faz show, eu sou sacerdote', diz padre Marcelo Rossi  (Foto: Divulgação/RedeTV!)
O padre Marcelo Rossi, 50, afirmou que somente pensou em se tratar da depressão quando papa Francisco veio ao Brasil e não cantou para ele. O sacerdote disse ainda que não é showman porque nunca fez show, ao contrário do colega Fábio de Melo.  "Achava que era frescura. Durante 19 anos da minha vida, e olha, tirei pessoas da depressão levando-as a Jesus, mas eu não acreditava", disse Rossi, em entrevista a jornalista Mariana Godoy nesta sexta (24). Ordenado há mais de 20 anos, padre Marcelo Rossi afirmou que foram anos difíceis de se conviver com a depressão e que chegou a ficar desanimado em torno da vocação. "Durante a depressão, ser padre se tornou uma profissão. Não deixei de ir em nenhum compromisso, mas já não fazia com amor. Senti que algo estava errado quando o Papa Francisco veio aqui e eu não cantei para ele. Foi aí que me dei conta e pensei: 'preciso me tratar'". O padre Marcelo Rossi afirmou ainda que tinha preguiça de rezar o terço e que, após a doença, mudou seus hábitos e começou a rezar o rosário. "Antes eu tinha preguiça de rezar o terço. Já ouviu falar do Terço Bizantino? (...) Fazia o Terço Bizantino porque era mais rápido", disse, em tom bem-humorado.  A Mariana Godoy, o padre disse que o celibato é importante aos sacerdotes porque é uma missão no qual "você se dedica, faz por amor e tem uma nova concepção de vida". "É um amor que você deixa de ter exclusivo para alguém para ser exclusivo a Deus e para os outros."
0