Editoria de Politica e Economia ....

Trump anuncia "avanços" e chama Coreia do Norte de "ameaça mundial"
Presidente reafirmou que está pronto para utilizar poder do Exército americano | Foto: Jim Watson / AFP / CP
A Coreia do Norte representa uma "ameaça mundial que exige uma resposta mundial", afirmou o presidente americano, Donald Trump,nesta terça-feira em Seul, onde anunciou "muitos avanços" nos esforços para solucionar a questão nuclear norte-coreana. Ao lado do presidente sul-coreano, Moon Jae-in, Trump reafirmou em coletiva de imprensa que está pronto para utilizar todo poder do Exército americano para impedir a Coreia do Norte de atingir seus objetivos nuclear e balístico. Apesar das ameaças, mostrou-se conciliador: "faz sentido que a Coreia do Norte venha à mesa para obter um acordo que seja bom para os norte-coreanos e o mundo". E acrescentou que "sim, vejo algumas coisas em movimento". "Penso que fazemos muitos avanços", completou, sem revelar detalhes, mas ressaltando que o presidente chinês, Xi Jinping, "tem sido muito, muito útil". Trump se reunirá com Jinping depois da etapa sul-coreana de sua viagem pela Ásia. O presidente americano desembarcou na Coreia do Sul esta manhã após uma visita de três dias ao Japão, onde recebeu o apoio integral do primeiro-ministro Shinzo Abe para sua estratégia com a Coreia do Norte de manter "todas as opções sobre a mesa". A relação de Trump com o presidente Moon Jae-in é, porém, consideravelmente mais fria, o que levantava preocupações 
"Vamos resolver tudo!"
Nos últimos meses, a tensão aumentou a respeito do programa nuclear de Pyongyang, e o presidente americano trocou insultos e ameaças, inclusive de guerra, com o líder norte-coreano Kim Jong-un, um conflito que afetaria os 10 milhões de habitantes da Coreia do Sul. Neste contexto, alguns especialistas temiam as possíveis declarações intempestivas do presidente americano, não apenas em relação a Pyongyang, mas igualmente a Moon. Em setembro, Trump criticou a política sul-coreana em relação ao país do norte, chamando-a de "apaziguamento".

Cunha permanecerá preso em Brasília - Crédito: José Cruz / Agência Brasil / CP
POLÍTICA

Cunha permanecerá preso em Brasília ao menos até 20 de novembro

0