Oposição venezuelana recebe Prêmio Sakharov do Parlamento Europeu.

Premiação de € 50 mil reconhece a luta por direitos humanos e liberdades individuais em todo o mundo. Anúncio feito pelo presidente do Parlamento Europeu foi interrompido por gargalhada. O parmento Europeu decidiu nesta quinta-feira (26) entregar o Prêmio Sakharov à Liberdade de Consciência à oposição venezuelana, representada pela Assembleia Nacional e por seu presidente, Julio Borges, assim como pelos dirigentes opositores Leopoldo López e Antonio Ledezma. A oposição venezuelana venceu a disputa contra outros dois finalistas: Aura Lolita Chávez Ixcaquic, ativista guatemalteca de Direitos Humanos, e o jornalista Dawit Isaak, preso em 2001 na Eritréia. A premiação será entregue em Estrasburgo, em 13 de dezembro. Na candidatura, proposta pelo Partido Popular Europeu (PPE) e pelo grupo dos liberais (ALDE), figuram também Daniel Ceballos, Yon Goicoechea, Lorent Saleh, Alfredo Ramos e Andrea González, considerados "presos políticos" pela Câmara Europeia.
Resultado de imagem para parlamento europeu
O anúncio do presidente do Parlamento Europeu, Antonio Tajani, foi interrompido por uma sonora gargalhada, um grito de "no pasarán!" (não passarão) e protestos de alguns eurodeputados presentes. Tajani respondeu rispidamente, pedindo respeito à "vontade da maioria deste Parlamento" e afirmando que o prêmio não era uma "piada", porque "milhões de pessoas e crianças estão morrendo de fome".
0