Adesão à recuperação fiscal pode garantir crédito de R$ 3 bi ao RS.

A adesão ao Regime de Recuperação Fiscal, que vem sendo negociada há meses pelo Estado com o governo federal, poderá garantir ao Rio Grande do Sul o acesso a R$ 3 bilhões em financiamento, além da suspensão do pagamento da dívida com a União por três anos - prorrogáveis por mais três. Essa expectativa é destacada pelo governador José Ivo Sartori durante o programa Governo e Comunidade desta semana. Com a entrada desses recursos, o Estado poderá quitar contas em atraso, equilibrar finanças e voltar a pagar os servidores em dia. "Precisamos aderir ao Regime de Recuperação Fiscal, sob pena de termos um colapso nos serviços públicos", afirma Sartori. O governador também ressalta a necessidade da aprovação da Assembleia Legislativa para que isso ocorra.
Adesão à recuperação fiscal pode garantir crédito de R$ 3 bi ao RS
Lembra que uma das propostas do governo gaúcho era colocar a CEEE, a Companhia Riograndense de Mineração (CRM) e a Sulgás para alienação ou federalização, para satisfazer as garantias exigidas pela União para socorrer os estados. "Mas há uma lei que determina que estatais só podem ser privatizadas ou federalizadas com a aprovação popular. Primeiro, a Assembleia não aprovou a possibilidade do plebiscito e depois tentamos retirar a obrigatoriedade da consulta popular. Mas infelizmente a Assembleia não aprovou nada".
0