Estimular a mobilidade a pé é foco de seminário em Porto Alegre,RS.

Quando pensamos em mobilidade urbana e em trânsito, nem sempre lembramos que todos, em algum momento, se tornam pedestres. Assim, pensar a cidade tendo como referência aqueles que caminham pelas ruas é uma maneira de melhorar a mobilidade, reduzir acidentes e até a qualidade de vida da população. Alternativas seguindo este enfoque foram abordadas durante o III Seminário de Mobilidade Urbana - Porto Alegre para Pessoas, promovido pela Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC) e pelo Programa Vida no Trânsito, sob coordenação da Secretaria Municipal de 
III Seminário de Mobilidade Urbana ocorreu no auditório da Famurs | Foto: Guilherme Testa
Saúde. A atividade integrou a programação da Semana Nacional do Trânsito, que tem como tema “Minha escolha faz a diferença no trânsito”. Com o auditório da Famurs praticamente lotado, foram apresentados dois projetos nesta área. Um deles é o da importância de pensar maneiras de melhorar os espaços para os pedestres. Segundo a arquiteta do Cidade Ativa, Gabriela Callejas, que fez a apresentação, o deslocamento a pé é um modo de transporte, apesar de muitas vezes não ser entendido dessa maneira. “O andar a pé tem que ter destaque. É uma maneira de se locomover muitas vezes mais rápida, porque os trajetos são mais flexíveis, e prática do que andar de carro, por exemplo. Você pode sair de qualquer ponto e ir para qualquer lugar”, enfatizou.
0