Uso de tecnologias no campo é foco de debate na Expointer...

A Expointer, que chega à 40ª edição, consolidou-se como um espaço de discussão das principais tecnologias que auxiliam a agropecuária gaúcha e brasileira. No que se refere à biotecnologia, o ano de 2003 foi marcado pelo anúncio da liberação de transgenia. No caso das máquinas, a cada ano a feira apresenta as novidades mais recentes em tecnologia embarcada. Neste cenário, o Rio Grande do Sul viu a produção de grãos saltar de 11,5 milhões para 36,4 milhões nos últimos 40 anos. As tecnologias do presente e do futuro e o desafio de sua adoção em um momento de queda nos preços dos principais produtos agrícolas, foram o tema da primeira edição do ciclo de debates desta Expointer, ocorrido nessa terça-feira, no Parque Assis Brasil. 
Resultado de imagem para ciclo de debates na expointer 2017
O presidente da FecoAgro/RS, Paulo Pires, destacou a necessidade de que, com o achatamento dos preços das commodities, o produtor faça a gestão dos custos, “com mais agronomia e menos pacote”. Ao mesmo tempo, ressaltou que, até por questões ambientais, o agricultor terá de usar menos insumos. E afirmou, ainda, que o setor da biotecnologia possui uma dívida com o campo. “A biotecnologia praticamente ficou na resistência ao glifosato e alguma coisa a mais. Ela pode evoluir muito”, destacou Pires.
0