Reportagem-bomba contra a Globo no “Domingo Espetacular” repercute nas redes sociais; confira as reações.

A Record dedicou mais de 16 minutos do “Domingo Espetacular” para repercutir a delação premiada do ex-ministro-chefe da Casa Civil Antonio Palocci (PT), que entre as acusações divulgadas pela imprensa no último dia 8, incluiu a Globo em uma lista de empresas que teriam recebido benefícios fiscais durante o governo de Dilma Rousseff (PT). Os apresentadores Paulo Henrique Amorim e Janine Borba anunciaram a reportagem como “uma delação que pode comprometer uma das famílias mais ricas e poderosas do Brasil”, e que as acusações do petista poderiam dar início a uma nova fase da Operação Lava-Jato “para apurar negócios da TV Globo, que envolvem sonegação fiscal, empresa de fachada no exterior e negócios de contratos de futebol”.
A reportagem se inicia com uma foto dos irmãos Roberto Irineu, João Roberto e José Roberto Marinho, proprietários da emissora concorrente e, sem citar nomes, diz que as acusações de Palocci “causam pesadelo nos poderosos”. Já o ex-ministro é citado como “o homem que comandou a economia” e que “sabe como ninguém os bastidores dos negócios das negociatas”, e questiona se o réu na Lava-Jato poderá receber a autorização para contar tudo o que sabe. Sobre os escândalos que envolvem a parceria da Globo com a Fifa nos direitos de transmissão da Copa do Mundo há quase 5 décadas, baseadas em denúncias reveladas pelo blogueiro Miguel do Rosário, em 2013, a emissora diz que o público desconhece os bastidores das negociações do canal carioca com a federação desportiva, e diz que “por causa dos maus negócios, a Globo quase quebrou no início dos anos 2000 e montou um esquema para comprar as transmissões sem pagar impostos no Brasil em uma operação fraudulenta”
0