Projeto permite gestão mais eficiente de imóveis que pertencem ao Estado RS.

O projeto de lei que cria o Programa de Aproveitamento e Gestão dos Imóveis no Rio Grande do Sul foi tema de reunião entre governo do Estado e líderes de partidos e líderes de bancadas da base aliada na Assembleia nesta terça-feira (11), no Palácio Piratini. A proposta do Executivo é permitir uma gestão mais eficiente dos milhares de imóveis de propriedade do Estado, que podem ser alienados em leilões e permutados por outros imóveis ou por área construída. De acordo com as informações apresentadas pelo vice-governador José Paulo Cairoli, pelo secretário da Casa Civil, Márcio Biolchi, pelo secretário da Modernização
Administrativa e Recursos Humanos, Raffaele Di Cameli, e pelo secretário adjunto da Secretaria Geral de Governo, Josué Barbosa, o Estado tem até 18 mil matrículas em seu patrimônio. Por outro lado, acumula despesas anuais de aproximadamente R$ 50 milhões com aluguel de imóveis para alojar parte de suas unidades administrativas. Assim, "é urgente uma lei que permita maior agilidade a esse processo", disse Biolchi, destacando que o modelo proposto é o mesmo adotado pela União há quase 20 anos, com a Lei Federal 9.636/98.
0