Propina da AG teria abastecido campanha de Dilma, diz jornal.

A Andrade Gutierrez (AG), uma das maiores empreiteiras do País, fez doações à campanha eleitoral da presidente Dilma Rousseff nos anos de 2010 e 2014 utilizando propinas oriundas de obras superfaturadas da Petrobras e do sistema elétrico. A informação é do jornal Folha de São Paulo e consta na delação premiada do ex-presidente da empresa Otávio Marques de Azevedo. 
Informação consta na delação premiada do ex-presidente da Andrade Gutierrez  | Foto: Evaristo Sa / AFP / CP
De acordo com a Folha, a informação relatada por Otávio de Azevedo foi sistematizada por ele em uma planilha apresentada à Procuradoria-Geral da República. O jornal explicou que as doações foram detalhadas pelo presidente e pelo ex-executivo Flávio Barra em depoimentos realizados em fevereiro, enquanto negociavam a delação, que ainda precisa da homologação do Supremo Tribunal Federal (STF). Esta foi a primeira vez que um empresário descreve o esquema investigado pela operação Lava Jato, em que uma empresa financia partidos por meio de propinas vindas de contratos públicos legalizadas na forma de doações eleitorais.
0