Dilma não vai arranhar biografia para interferir na Lava Jato, avisa Planalto.

Apesar do clima de desconfiança nos rumos da Operação Lava Jato com a troca de comando no Ministério da Justiça, auxiliares mais próximos da presidente Dilma Rousseff argumentam que não haverá mudança no comportamento do governo como deseja o PT.
Um interlocutor direto da presidente lembra que, quando o ex-ministro da Fazenda Joaquim Levy foi trocado por Nelson Barbosa, o PT comemorou. Mas, poucos meses depois, Barbosa virou alvo de fritura do próprio partido por ter continuado a política de ajuste fiscal do antecessor.  Há um reconhecimento no núcleo palaciano de que a substituição de José Eduardo Cardozo por Wellington César atende a um desejo do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, além de ser um gesto ao próprio PT.
0